Previsão e detecção do período fértil: os marcadores

J Natl Med Assoc. 2018 Oct;110(5):440-447. doi: 10.1016/j.jnma.2017.10.007.

A R Martinez, M J Zinaman, V H Jennings, V M Lamprecht

A ocorrência e a duração do período fértil nas mulheres estão estritamente relacionadas ao momento da ovulação. Uma vez que a única confirmação positiva da ovulação é a identificação de um óvulo no trato reprodutivo feminino ou a subsequente detecção de uma gravidez, a previsão e detecção de sua ocorrência devem ser baseadas em marcadores ou indicadores que se encontram em distâncias fisiológicas variáveis ​​da própria ovulação . Podem ser variações nos hormônios e outras substâncias que podem ser detectadas em diferentes fluidos corporais ou a evidência de seus efeitos em órgãos-alvo específicos. Avanços recentes no conhecimento da fisiologia reprodutiva têm permitido a identificação de substâncias e fenômenos biológicos distintos que acompanham a ocorrência do período fértil. Este artigo tem como objetivo atualizar e classificar os marcadores de fertilidade disponíveis com base em sua natureza particular e modalidade de expressão e, adicionalmente, considerar a relação temporal entre o aparecimento de seus sinais específicos e o momento da ovulação. Consequentemente, aqueles indicadores diretamente relacionados às mudanças no nível ovariano foram definidos como marcadores diretos, incluindo a morfologia ovariana, os hormônios reprodutivos e as proteínas regulatórias intra-ovárias, enquanto aqueles que refletem as variações observadas em diferentes órgãos-alvo foram considerados marcadores indiretos, e foram posteriormente qualificados como bioquímicos, biofísicos e clínicos. Posteriormente, os marcadores de fertilidade foram classificados em prospectivos, imediatos ou retrospectivos, dependendo de permitirem a predição, detecção ou confirmação do evento ovulatório, respectivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *